Eu sou o Cacique do Guarita até Dezembro de 2022, diz Carlinhos Alfaiate

Duas mil famílias residem na Terra Indígena do Guarita.

Por Portal Celeiro em 24/02/2022 às 08:43:54
Foto: Prefeitura de Redentora

Foto: Prefeitura de Redentora

O conflito no interior da Terra Indígena do Guarita, maior reserva indígena do Rio Grande do Sul, parece longe de acabar. A disputa pelo poder se acirra com o passar dos dias. No mês de Dezembro de 2021 foi realizada uma eleição para a escolha de um novo cacique, pleito este, não reconhecido pelo Cacique Carlinhos Alfaiate.

Em entrevista ao Grupo Chiru, Alfaiate disse que segue no comando até Dezembro deste ano, quando uma nova eleição deve ocorrer. Conforme Carlinhos, as autoridades competentes não reconhecem a eleição promovida no último ano que elegeu um grupo adversário para comandar a aldeia indígena. Por outro lado o Ministério Público Federal explica que os processos de escolha para um novo cacique devem ser realizados e organizados pela própria comunidade indígena, sem interferência externa.

Devido a estes conflitos, protestos são realizados para chamar a atenção dos poderes no que se refere ao impasse interno. O medo de muitas pessoas é que os conflitos violentos tomem conta do local. Carlinhos Alfaiate inclusive relatou na entrevista ao Grupo Chiru que residências já foram invadidas e uma mulher foi gravemente ferida.

Alfaiate disse que espera que a tranquilidade seja retomada na terra indígena nos próximos dias. "Eu não quero confronto entre a comunidade indígena, porém o Cacique do Guarita sou eu, até o final deste ano", comentou. "Precisamos seguir garantindo o acesso da população indígena a saúde, educação e laser, e é este o meu compromisso", finalizou Carlinhos.


Fonte: Grupo Chirú

Comunicar erro
confiarcont
LUCROU

Comentários

anuncie1novo